Povos indígenas isolados e a biodiversidade: Opi e Univaja participam da COP 15 em Montreal

Em debate no dia 8 organizações destacaram necessidade de combate à criminalidade na Amazônia

Beto Marubo (Univaja), Fábio Ribeiro (Opi) e Beatriz Huertas (FRN-Orpio) estão entre os maiores especialistas em povos indígenas isolados do mundo. Foto: divulgação

Representantes do Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato (Opi) e da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) participaram ontem (8) de debate na Conferência de Biodiversidade das Nações Unidas, a COP 15, que reúne 196 países em Montreal para tentar criar um plano de proteção da biodiversidade para os próximos anos.

A reunião global é vista como a última chance de frear a perda colossal de biodiversidade no planeta. A taxa de extinção vem acelerando em níveis preocupantes e ameaça cerca de um milhão de espécies. Um dos objetivos das negociações é alcançar acordos multilaterais para frear as ameaças à biodiversidade.

O coordenador do Opi, Fábio Ribeiro e Beto Marubo, da Univaja, se juntara m a Beatriz Huertas, da Rainforest Foundation Noruega (RFN) e da Organización de Pueblos Indígenas del Oriente (Orpio) e John Reid, da Nia Tero, para debater a importância dos povos em isolamento para a proteção da biodiversidade. Ao abrir o debate, John Reid, da Nia Terro deu o tom da mesa: “nessas florestas, há pessoas”, lembrou. Ele ressaltou que Ribeiro, Marubo e Huertas estão entre os maiores especialistas do mundo sobre povos isolados.


Fabio Ribeiro apresentou um panorama sobre a situação dos povos isolados no Brasil, onde os 114 registros se concentram na região Amazônica e onde, desde a década de 1980, há uma política de não contato e respeito à autonomia desses grupos. Ribeiro listou ameaças como o avanço do desmatamento e o domínio do crime organizado sobre porções cada vez maiores da floresta.

Mencionou o genocídio do povo de Tanaru, que desapareceu em 2022 com a morte de seu último integrante em Rondônia, numa área intensamente desmatada por fazendeiros e lembrou os assassinatos bárbaros de Bruno Pereira, fundador do Opi e do jornalista Dom Phillips, por pescadores ilegais que atuam há anos no Vale do Javari.

“Vemos a necessidade urgente de operações coordenadas para combater a criminalidade em toda a região amazônica”, disse, lembrando fala recente do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que disse que o maior risco para o Brasil é perder a soberania da Amazônia para o crime organizado.


Beto Marubo, da Univaja, ressaltou que, sobretudo nos últimos quatro anos, ficou muito evidente no Brasil a importância dos territórios indígenas para a proteção da biodiversidade. “Proteger os isolados é proteger a biodiversidade”, disse. Daí a importância da pauta da demarcação das terras indígenas, que está no centro dos debates durante a transição para o novo governo brasileiro, da qual Marubo está participando.

“Proteger os povos isolados é proteger a biodiversidade”
Beto Marubo

“O desmatamento tem aumentado muito nas áreas que, em tese, são protegidas pelo governo federal. É preciso que a proteção seja efetiva, placa não protege”, disse, ressaltando a importância de ações de fiscalização e garantia efetiva de funcionamento das Frentes de Proteção Etnoambiental nas áreas onde há registros de povos isolados. “A mensagem q trazemos é essa: não se pode disassociar a proteção dos territórios indígenas da proteção da biodiversidade”, concluiu.

Beatriz Huertas abordou a problemática dos povos isolados na Amazônia peruana e reforçou a necessidade de efetiva proteção territorial. “Quando falamos da proteção de povos em isolamento, estamos dizendo que seus territórios precisam ser intangíveis”, concluiu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s